Paciente aproveita tempo de internação no Hugo com livro do projeto Ler é Distração

Ação realizada às terças e sextas-feiras pela unidade do Governo de Goiás, com biblioteca itinerante, tem como objetivo incentivar o hábito da leitura e proporcionar entretenimento

Com o intuito de incentivar o hábito da leitura e levar entretenimento aos pacientes e acompanhantes, o Hospital de Urgências de Goiás Dr. Valdemiro Cruz (Hugo) lançou, na quarta-feira (1º/6), o projeto Ler é Distração. A iniciativa, idealizada pela Comissão de Humanização da unidade do Governo de Goiás, funciona como uma biblioteca itinerante pelas enfermarias, ocorre às terças e sextas-feiras, das 14h às 16h, e conta com o apoio dos colaboradores da Ouvidoria, que entregam os materiais.

A presidente da Comissão de Humanização e ouvidora do Hugo, Célia Regina, explica que a ação promove o bem-estar emocional, social e cognitivo dos pacientes. Além disso, possibilita a vivência de emoções, o exercício da fantasia e da imaginação.

“Nosso intuito é proporcionar aos pacientes e acompanhantes, através da leitura, a oportunidade de alargamento dos horizontes pessoais e culturais, garantindo a sua formação crítica e emancipadora. A leitura é considerada terapia, não abrindo mão da presença de profissionais da saúde”, afirmou.

A Ouvidora destaca que a leitura pode transformar ambientes e pessoas. “Quando lemos, esquecemos dos problemas. O Ler é Distração ajuda pacientes e acompanhantes a ocupar o tempo ocioso no hospital de forma prazerosa. A ação é mais uma forma de acolher nossos usuários, tornando a internação menos dolorosa”, explica Célia.

Os pacientes aprovaram a iniciativa. A dona de casa Maria de Fátima, de 60 anos, que está internada na unidade há 11 dias, afirma que o projeto deveria ser realizado em todos os hospitais. “Ao ler o livro, eu senti paz e tranquilidade. Recebi o livro um dia antes da minha cirurgia, entrei e saí do centro cirúrgico calma. Foi uma benção”, disse.

A vendedora Flávia Rodrigues, de 23 anos, está no Hugo desde o dia 17 de maio e conta que conseguiu se distrair no ambiente hospitalar durante a leitura. “Muito bom participar do projeto. Já li três capítulos do livro que escolhi e aprendi um pouco mais sobre Deus”, afirmou.

O projeto é composto por 235 livros e 386 revistas, todos doados para a unidade. Eles são disponibilizados aos pacientes e acompanhantes, durante a permanência no Hugo. Todo material é examinado e higienizado antes da distribuição.

Fonte: Julianna Adornelas/Instituto CEM.

Ajustar fonte