Na parte externa do Hugo, d. Valdemira Gomes mata saudade do marido, filhos, netos e bisneta caçula

Valdemira Gomes matou a saudade do marido, com quem é casada há 65 anos, dos filhos, netos e bisneta, que moram na Bahia, a 900 km de Goiânia

Internada há nove dias no Hospital de Urgências de Goiás Dr. Valdemiro Cruz (Hugo), Valdemira Gomes dos Santos, de 85 anos, recebeu na manhã desta sexta-feira (1º/4), a visita de familiares na parte externa da unidade de saúde do Governo de Goiás. Com abraços, palavras de amor, troca de olhares e muita emoção a idosa matou a saudade do esposo, com quem é casada há 65 anos, de 6 dos 7 filhos, de 4 netos e da bisneta caçula.

A família de dona Valdemira viajou cerca de 900 km para a visita, pois moram em Angical, na Bahia. O reencontro com os familiares faz parte da visita humanizada que a equipe multiprofissional da unidade proporciona aos pacientes. “Sem poder receber visitas e longe do conforto de casa, os pacientes enfrentam dias marcados pela saudade da família, o que causa impacto negativo no emocional. Para diminuir esse quadro, seguindo todos os protocolos de saúde, a equipe, sempre que possível, promove as visitas”, explica a psicóloga Mônica Lelis.

De acordo com a enfermeira e coordenadora do setor de ortopedia do Hugo, Patrícia Rezende, as ações de humanização da unidade fortalecem as relações do paciente com a equipe. Além disso, os profissionais conseguem minimizar os efeitos negativos da hospitalização, tornando o período de internação menos doloroso tanto para o paciente quanto para a família.

“A visita humanizada proporciona uma melhora do lado emocional do paciente. Procuramos sempre fazer com que o paciente passe o tempo que está aqui no Hugo da melhor forma. É importante lembrar que o paciente é o amor de alguém e que um gesto, mesmo que pequeno, faz toda diferença. Nosso intuito é ver o paciente muito além da doença e valorizá-lo como ser único e complexo que é”, afirma Patrícia.

Julianna Adornelas (texto e foto)/Instituto CEM

Ajustar fonte